BLOG | E O PREÇO DA SOJA?

E O PREÇO DA SOJA?

30 de agosto 2018 |

 

 

Confira seis estratégias para melhorar a sua comercialização na safra 2018/19

 

Supersafra nos EUA, guerra comercial, tabelamento do frete, eleição para presidente, câmbio volátil, subsídio de US$ 1,65 por bushel aos produtores americanos, menor preço em dez anos na Bolsa de Chicago, preço em real entre os mais altos já registrados aqui no Brasil, reversão da posição dos fundos de investimento…

A lista de fatores que têm impactado o mercado da soja parece não ter fim. Por isso, decifrar a equação que leva à formação do preço da soja recebido pelo produtor brasileiro não está entre as tarefas mais fáceis.

Mas ficar tentando adivinhar qual será o preço mais alto do ano e quando ele vai acontecer  definitivamente não é a melhor saída para uma boa comercialização. Por isso, a AgRural preparou uma lista de seis estratégias para você colocar em prática na safra 2018/19 e conseguir uma bom preço médio de venda na nova temporada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. Tenha o custo de produção da soja na ponta do lápis

Do lápis, não. De preferência, em um conjunto de planilhas muito bem organizadas e com o máximo de atenção aos detalhes. Sabendo exatamente qual é o seu custo de produção, fica mais fácil definir a margem de lucro que você espera e, com isso, os níveis de produtividade e os preços da soja necessários para atingir essa margem. Não deixe nada de fora: dos fertilizantes ao transporte pós-colheita, passando pelo parafuso novo do pulverizador e pelos encargos sociais, tudo precisa ser contabilizado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. Menos coração, mais cabeça

A gente sabe que, às vezes, é muito tentador repetir a mesma estratégia que deu certo no ano passado. Ou continuar fazendo as coisas como o nosso pai e o nosso avô faziam. Mas os tempos são outros, o mercado da soja é muito mais sofisticado e cada safra é uma safra. Por isso, não dá para achar que, só porque você conseguiu vender soja a R$ 90 por saca em 2018 vai conseguir repetir o mesmo preço em 2019. Pode ser mais. E pode ser menos.

Com o seu custo de produção bem detalhado, faça as contas: o preço oferecido em dado momento pode contribuir para um bom preço médio de comercialização no fim da safra? Se pode, venda alguma coisa, participe do mercado. Por mais tentador e compreensível que seja, não se apegue à sua soja como se ela fizesse parte da família. Nessas horas, deixe o coração quietinho e use a cabeça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. Não tente acertar o olho da mosca

Não há nada pior do que estabelecer um preço X como meta e só vender quando o preço da soja atinge essa meta. Primeiro, porque você não vai conseguir vender toda a sua produção de uma vez só, pelo preço exato que colocou na cabeça. Segundo, porque essa meta de preço talvez nunca seja atingida. Imagine um produtor que colocou na cabeça que só vai vender soja a R$ 80 por saca. R$ 80 livre! O preço chega a R$ 79 e ele continua lá, esperando, e não vende. Depois, o preço recua, ele se desespera e vende soja a R$ 65, com medo de que o preço caia ainda mais.

Isso já aconteceu com você ou com alguém que você conhece, não aconteceu? E certamente foi doído. Então não caia nesse erro. Quem fica esperando acertar o olho da mosca deixa o bonde do mercado passar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. Que tal planejar por mês ou por trimestre?

Alguns anos atrás, fazer análise de mercado era relativamente simples. Supersafra? O preço da soja caía. Quebra de produtividade? O preço da soja subia. Demanda fraca? Mercado arrastado. Consumo acelerado? Preço em alta. Hoje, com a financeirização dos mercados agrícolas, a formação do preço da soja é muito mais sofisticada e influenciada por fatores tão alheios à agricultura como a política fiscal americana ou um ataque especulativo à lira turca.

Por isso, prever os rumos dos preços da soja ficou muito mais difícil. Faça uma previsão de preço máximo e preço mínimo da soja em 2019 e você vai… errar! Por isso, uma boa estratégia de comercialização é estudar o mercado dentro de períodos mais curtos de tempo. Pode ser por mês, pode ser por trimestre. Esta é, aliás, uma das estratégias dos Indicadores AgRural.

Tente identificar os fatores em jogo, a sazonalidade, as influências externas, dentro de cada período analisado. O preço da soja está subindo e com chance de atingir o melhor patamar dentro daquele período mais curto que você está analisando? Então venda um pouco, com o objetivo de fazer uma boa média de preço mais adiante, no fechamento da safra. O preço da soja está em queda? Espere, não venda no desespero. Um novo mês ou um novo trimestre virão e você terá novas oportunidades de vender por um preço em linha com a sua estratégia de rentabilidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. Preço da soja sempre em alta? Não dê ouvidos somente àquilo que deixa você feliz!

Todos nós somos atraídos por notícias que podem nos beneficiar de alguma maneira. Faz parte da natureza humana. Um produtor de soja, obviamente, é muito mais propenso a clicar em um link ou a assistir a uma reportagem que fale sobre fatores positivos para o preço da soja do que dar audiência para quem diz a ele que os preços vão cair. Afinal, ele quer que o preço suba.

Quem escreve as manchetes sabe muito bem disso e fatura em cima desse desejo de mercado sempre em alta. Por isso, desconfie de quem escreve ou diz que os preços sempre vão subir, porque uma das poucas certezas da vida é esta: os preços da soja sobem e os preços da soja caem. Desconfie de tudo o que lê e escuta, não tome decisões com base apenas no que você viu na TV ou no grupo de WhatsApp. Pesquise, informe-se, busque fontes confiáveis, que analisem o mercado com isenção e equilíbrio, cruze informações, avalie. Você pode e deve ler e ver as notícias sobre a alta dos preços da soja. Mas não deixe de dar atenção àquelas que falam de preços em queda.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. Profissionalize a sua comercialização
    O produtor brasileiro é caprichoso no manejo e gosta de estar sempre atento a tudo o que acontece na lavoura – e isso tem ajudado o Brasil a bater recordes sucessivos de produtividade. Mas a produção e a comercialização de soja estão cada vez mais complexas e sofisticadas.O olho do dono é sempre importante, mas não dá para, ao mesmo tempo, consertar a colheitadeira que quebrou, testar um novo cultivar, supervisionar o refeitório dos funcionários da fazenda e traçar estratégias de venda que garantam aquele preço da soja que você quer colocar nas suas planilhas e no seu bolso.

    Cerque-se de bons profissionais, delegue funções e tenha alguém – você, um membro da família, um funcionário de confiança ou um consultor – dedicado exclusiva e integralmente à comercialização. Com isso, você vai conseguir ficar tão bom da porteira para fora como já é da porteira para dentro.

 

 

Quer saber mais sobre comercialização de soja e milho? Então clique aqui e conheça os Indicadores AgRural

 

Contato

R. Nilo Peçanha, 1384 | Bom Retiro | Curitiba - PR | CEP 80520-176

41 3338-7884
(Whatsapp) 41 99888-4695
(Skype) rejaneagrural
contato@agrural.com.br

Receba nossa Newsletter

Cadastre-se para receber novidades!